Dicas para desenvolver um copywriting de qualidade

Dicas para desenvolver um copywriting de qualidade 2

O primeiro passo para a criação de um copywriting de sucesso é conhecer o seu público-alvo

Saber como desenvolver um copywriting de qualidade é a chave para alcançar o sucesso com o marketing digital. Afinal de contas, essa estratégia auxilia nas vendas de produtos ou serviços, pois é capaz de convencer os leitores a realizar alguma ação, aumentando a conversão de leads (potenciais clientes) e chances de compras.

De maneira geral, o copywriting nada mais é que o processo de produção de textos persuasivos para marketing e vendas, incluindo conteúdos de e-mails, blog posts, catálogos, anúncios de vendas, entre outros. O responsável pelo desenvolvimento do conteúdo é conhecido como copywriter.

No entanto, se a intenção é desenvolver um texto para uma empresa de limpeza terceirizada, o copywriting não deve se concentrar somente na descrição do negócio ou dos serviços, mas sim trazer informações relevantes, com um conteúdo rico e valioso ao público-alvo, para ajudar no processo de tomada de decisão.

Por isso, o copywriting é diferente de uma redação publicitária. A segunda é focada apenas na propaganda de um produto, empresa ou atividade, muitas vezes de forma direta e invasiva. Já o copywriting conta com CTAs (Call to Action, ou chamada para ação) ao longo do texto, com o objetivo de convencer os leitores, gerar engajamento e contribuir para a credibilidade da empresa, diante do compartilhamento de conteúdos de qualidade.

Embora geralmente associado com o inbound e o marketing digital, o copywriting não é um conceito novo. O termo foi cunhado pela primeira vez em 1828, por Noah Webster, referindo-se a algo original que era imitado na escrita e impressão.

Porém, essa definição acabou caindo em desuso na literatura, permanecendo apenas entre os jornalistas e impressores, que definiam o copywriter como o profissional responsável pela criação de anúncios, para diferenciar a atividade do redator de notícias.

Neste artigo, conheça algumas dicas para desenvolver um copywriting de qualidade e conquistar ótimos resultados com a sua estratégia de marketing digital. Acompanhe!

1 – Identifique o seu público-alvo

O primeiro passo para a criação de um copywriting de sucesso é conhecer o seu público-alvo. De nada adianta desenvolver um ótimo blog post sobre soluções em meios de pagamento, se o conteúdo não é direcionado.

Por ser parte do inbound, o copywriting foca em oferecer a informação certa para a pessoa certa no momento ideal. Ou seja, é um texto altamente orientado, com uma linguagem em comum à audiência e atendendo aos interesses dos potenciais clientes.

Nesse sentido, é fundamental identificar quem é o seu público-alvo, o que pode ser feito com a análise dos consumidores da empresa ou por uma pesquisa de mercado. Para isso, levante os principais dados, como:

  • Faixa etária;
  • Gênero;
  • Estado civil;
  • Nível de escolaridade;
  • Ganhos mensais;
  • Hobbies;
  • Profissões;
  • Entre outros.

Quanto mais informações disponíveis a respeito da sua audiência, melhor será o direcionamento do conteúdo e, como consequência, maiores são as chances de conversão.

2 – Ofereça algo em troca aos leitores

O grande objetivo do copywriting é convencer o leitor a realizar alguma ação, como baixar um e-book, se inscrever em uma newsletter, obter desconto na compra ou finalizar a negociação com a empresa.

No entanto, para convencer os usuários, é fundamental oferecer algo em troca, para que eles sintam que terão alguma vantagem quando tomarem uma decisão. Por exemplo, uma corretora de seguros auto pode criar um copywriting demonstrando as vantagens de contratar uma seguradora para os carros e, em conjunto com o material, criar uma calculadora para simular os custos.

Ao chamar o leitor para usar o recurso, a empresa está fornecendo em troca uma informação personalizada – no caso, o valor do seguro para carros. Mas há outras possibilidades, como a oferta de um cupom de desconto, a disponibilização de um e-book, a visualização de um vídeo exclusivo, entre outros.

Esse artifício tem relação com o gatilho mental de reciprocidade, pois os usuários percebem que estão sendo recompensados pelas suas ações.

3 – Utilize cases de sucesso

Os cases de sucesso ajudam a comprovar a credibilidade da sua empresa e, por esse motivo, devem ser aplicados no copywriting. Por exemplo, um escritório de projetos de engenharia civil pode citar empreendimentos de sucesso, demonstrando que seus serviços são reconhecidos no mercado.

Além disso, é possível fazer uso de depoimentos de outros clientes, pois essa estratégia desperta o princípio psicológico de comprovação social e autoridade. Dessa forma, as pessoas passam a enxergar o seu negócio com outros olhos, com mais confiança em seus produtos ou serviços.

Assim, uma empresa de dedetização pode colocar em seu site falas de clientes satisfeitos com o negócio, por exemplo, pessoas que se livraram de pragas urbanas.

4 – Use gatilhos mentais

Os gatilhos mentais são mecanismos cerebrais que colaboram com o processo de decisão dos clientes, evitando que nossas escolhas tomem muito tempo e energia. Esses artifícios são comuns no copywriting, como vimos na questão da reciprocidade e comprovação social, visto que eles ajudam a convencer os leitores.

De acordo com Robert Cialdini, em seu livro “As Armas da Persuasão”, os gatilhos mentais geralmente levam o comportamento humano a agir de uma maneira automática e, por esse motivo, são capazes de influenciar a tomada de decisões.

Ora, pense por um momento: quando uma empresa de paisagismo oferece uma promoção única, mas por tempo limitado, é natural que mais clientes procurem pelo serviço, já que o gatilho mental da escassez libera o “medo” de perder aquela oferta.

Sabendo disso, o marketing explora com recorrência os gatilhos mentais, especialmente no desenvolvimento de copywriting.

E o que não fazer no copywriting?

Até agora, vimos algumas práticas consideradas “boas” para a criação de um copywriting. Mas não é incomum nos depararmos com alguns erros comuns no texto e, embora recorrentes, essas situações são capazes de diminuir o engajamento e prejudicar os objetivos de conversão.

A seguir, veja o que não fazer no copywriting e quais artifícios atrapalham a qualidade do texto. Confira!

Falta de credibilidade

Não adianta nada ter um texto impecável, bem escrito e com uma linguagem adequada, se o leitor não tem uma comprovação daquilo que se está tentando vender. Ou seja, falta credibilidade para a audiência.

O copywriting precisa construir uma relação de confiança com os leitores. Isso não se faz de uma hora para outra, por isso, a dica é construir textos que ofereçam uma solução ao público, mostrando que a empresa tem um interesse genuíno em ajudar.

Por exemplo, uma clínica de psicologia pode produzir textos com dicas para identificar transtornos mentais, mas deixando claro que o diagnóstico deve ser feito por um profissional. Isso ajuda as pessoas a se conectarem com o seu conteúdo e, caso percebam uma relação com as informações, procurem atendimento profissional.

Abusar da quantidade de informações

Não adianta nada trazer um texto rico em informações, se não se sabe dosar a quantidade certa de conteúdo. É importante lembrar que a sua audiência é formada por vários sub públicos diferentes, com interesses diversos e, por conta disso, é necessário traçar novas abordagens para vender uma ideia.

Assim, ao incluir muitas informações em um mesmo texto, o copywriting ficará muito genérico e não vai atingir nenhum leitor. O ideal é construir um artigo mais objetivo, focado e direcionado, privilegiando um assunto em questão.

Colocar muitos jargões

Os jargões são comuns em vários segmentos de mercado. Por exemplo, os serviços de contabilidade possuem uma linguagem própria da área e, por esse motivo, vários conteúdos acabam usando essas terminologias para construir uma aproximação com o público-alvo.

Embora a estratégia seja vantajosa, os copywritings com excesso de jargões podem prejudicar a experiência de leitura da audiência e, desse modo, as pessoas se afastam do material, o que prejudica a conversão.

Por esse motivo, caso queira usar uma terminologia específica no seu texto, lembre-se de explicar aos leitores o conceito abordado e empregar jargões com moderação. A dica é manter uma linguagem clara e simples, mas não pobre e simplória.

Falar somente do produto ou serviço

É importante lembrar que o copywriting não é uma redação publicitária. Por isso, não adianta focar somente nas características do produto ou serviço, de maneira invasiva, até “empurrando” a solução para os leitores.

O ideal é trazer um conteúdo informativo e curioso, para despertar o interesse dos leitores, mas oferecendo alternativas para que o próprio público tome suas decisões.

Conclusão

O copywriting é um dos artifícios mais comuns do marketing digital. A estratégia visa a produção de materiais de qualidade, como uma maneira de gerar valor à audiência e contribuir com a conversão de leads e vendas.

Muito por conta disso, o copywriting é normalmente associado com o marketing de conteúdo e o uso de gatilhos mentais.

O texto buscou trazer algumas dicas para a produção de um copywriting de qualidade. Mas, é claro, é possível ir além e produzir um conteúdo altamente direcionado e conquistar o sucesso com a estratégia.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.